Hoje vamos falar um pouco sobre navios e cruzeiros. Falaremos especificamente sobre a Silversea, que possui uma frota de elegantes navios de diversos tamanhos diferentes.

Os navios de Cruzeiros Silversea são de vários tamanhos, porém de uma classe apenas! – Tudo incluso, todos os mimos o tempo todo!

Os Silver Cloud e Silver Wind, pesam 16.800 toneladas cada um. São extremamente espaçosos e também íntimos. Eles tem capacidade para quase 300 passageiros, o que os coloca no topo da categoria com uma relação de quase 29 toneladas por passageiro e buscam alcançar resultados cada vez melhores.

tripulacao-silversea

Essas obras de arte são frutos de um trabalho de apenas 2 estaleiros da Itália. Peças vieram de um localizado no extremo leste do país, atravessando o mar inteiro, até chegarem ao seu destino final aonde colocariam as partes que faltaram.

Devemos dizer também que por terem seus tamanhos limitados, os navios menores pecam um pouco na parte destinada a diversão dentro do navio. Não possuem espaço suficiente para cinemas ou grandes palcos com atrações. Já os últimos dois navios esbanjam tamanho e possuem muitas opções para diversão e entretenimento do passageiro durante o cruzeiro.

silver-spirit

Após um período de 8 anos sem construir novos navios, a Silversea resolve, quase chegando em 2010, lançar o Silver Spirit que viria com capacidade para quase 600 passageiros.

Contando com 300 cabines VISTA MAR E VARANDAS!! O navio tem também um jantar no seu excelente restaurante onde os passageiros podem apreciar uma boa música e desfrutar de uma cozinha gourmet em um ambiente íntimo. Há também aulas de dança super animadas que todo mundo adora.

Agora no começo do próximo ano nós veremos o Silver Muse e vem com seu desenho muito semelhante ao seu irmão Silver Spirit mas também vem com capacidade para quase 600 passageiros.

Para os que gostam de explorar, a Silversea conta também com uma frota com um trio de navios.

silver-explorer

Construído na final da década de 80, o Silver Explorer é algo indescritível, e por ser o primeiro navio da frota que não foi feito sob-medida, passou por uma reformação completa no final d 08. Tem capacidade limitada para apenas 130 passageiros e metade desse número em cabines.

Obviamente oferece todos os mimos e luxos de um Silversea, mas também é preparado para enfrentar condições congelantes e também dispões de menores embarcações para explorar de mais perto ainda. Já na região de Galápagos você encontra o Silver Galapagos, um navio menor com capacidade para apenas uma centena de passageiros.
O Silver Discovery foi adquirido em 2014 e tem capacidade para quase 130 passageiros. Esse Silversea navega por áreas mais distantes como Leste Russo, Oeste Australiano, Polinésia, Melanésia e Micronésia.  Para mais informações e cotações sobre Cruzeiros Silversea clique aqui.

Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, continua como também presidente da Associação de Turismo de Lisboa (ATL). A decisão aconteceu por votação no dia 27 de abril, e colocou Jorge Ponce de Leão, administrador da ANA (Aeroportos de Portugal), como presidente adjunto.

Nesta votação, foram decididos os novos corpos sociais para o triénio 2016-2019. Medina será responsável por liderar uma equipa de consenso que integra representantes das principais entidades associadas.

O presidente adjunto, Ponce de Leão, passa a substituir o administrador da Top Atlântico DMC, Mário Machado, que se torna mandatário da lista.

Enquanto isso, Rui Sousa, diretor regional de operações do Hotel Tivoli, foi reeleito presidente do “Convention Bureau”.

A lista de vogais da nova equipa da ATL é formada por Vitor Costa, presidente da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa, Rui Pereira, vice-presidente da Câmara de Sintra, Nuno Piteira Lopes, vereador da Câmara de Cascais e Célia Fernandes, vereadora da Câmara de Mafra.

Já a lista de vogais dos que representam as associações do setor é composta por Bernardo Trindade, vice-presidente da direção executiva da Associação de Hotelaria de Portugal, Pedro Costa Ferreira, presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, José Manuel Esteves, diretor-geral da Associação de Restauração e Similares de Portugal, Carla Salsinha, presidente da União de Associações do Comércio e Serviços e Maria João da Rocha de Matos, diretora-geral da associação empresarial Lisboa, Feira, Congressos e Eventos.

O responsável da TopMic, Rui Horta, volta a ser presidente da mesa assembleia-geral do Turismo de Lisboa e conta com António Pimentel (diretor do Museu Nacional de Arte Antiga) como secretário e com Martinho Santos Costas (administrador do Grupo Barraqueiro) como vogal.

Associação de Turismo de LisboaA Associação de Turismo de Lisboa (ATL)

Fundada em 1997, a Associação de Turismo de Lisboa –ATL- é uma entidade privada e sem fins lucrativos que possui mais de 800 associados.

Os seus principais objetivos são promover o desenvolvimento turístico sustentado, a promoção de Lisboa como destino turístico nos diferentes produtos de lazer, a promoção de Lisboa como local de realização de Congressos, feiras e como destino de viagens de incentivo e a informação e o apoio aos turistas que visitam a cidade.

Como é uma associação privada e sem fins lucrativos, a ATL, é dirigida pelos Órgãos Sociais, eleitos de três em três anos e composta por membros que integram Organismos Oficiais, Associações Empresariais e associados individuais, em um total de 23 membros, sendo que a presidência é exercida pela Câmara Municipal de Lisboa e a Presidência Adjunta por um privado.

Quem é Fernando Medina?

Fernando Medina Maciel Almeida Correia, além de presidente da ATL, é presidente da Câmara Municipal de Lisboa, desde abril de 2015, quando sucedeu a António Costa.

Ele é licenciado em Economia pela Faculdade de Economia do Porto, foi presidente da Associação de Estudantes desta faculdade  e, em seguida, presidente da Federação Acadêmica do Porto. Também possui mestrado em Sociologia Económica, pelo Instituto Superior de Economia e Gestão.

Sua aproximação com a vida política aconteceu em 1999, quando, à época, o Ministro Eduardo Marçal Grilo o chamou para ser consultor do Grupo de Trabalho do Ministério da Educação na Presidência Portuguesa da União Europeia. Um ano depois, ele trabalhou no gabinete de António Guterres, primeiramente como assessor para as áreas da Educação e da Ciência, e depois com a Economia, até 2002, quando ocorreu a demissão do primeiro-ministro.

Quando o Partido Socialista (PS) retorna ao governo, em 2005, José Sócrates o nomeia Secretário de Estado de Emprego e da Formação Profissional. Em 2009, Medina assume a Secretaria de Estado da Indústria e Desenvolvimento, dedicando-se à reforma da Segurança Social, às alterações do Código do Trabalho e ao salário mínimo nacional e à coordenação do programa “Novas Oportunidades”.

Em 2011, foi eleito deputado e integrou a Comissão de Acompanhamento da Troika, de forma a representar a oposição socialista junto ao Ministro das Finanças, Vítor Gaspar.

Mas, foi somente em 2013, graças à ação de António Costa, então presidente da Câmara de Lisboa, que Medina se aproxima deste cargo, sendo incluído como número dois na lista, o que sinalizava que Costa não ficaria até o fim. Assim, em 6 de abril de 2015, Medina assume o cargo de presidente da Câmara de Lisboa.

O projeto turístico para Lisboa no período de 2015-2019

Quem acessar o sítio da ATL já poderá encontrar o projeto turístico para a região de Lisboa no período entre 2015-2019.

De acordo com este documento, desde 2009, o turismo tem contribuído de forma relevante para a região de Lisboa, com um crescimento de 6% ao ano, o que ajuda a melhorar ainda mais o PIB.

Os principais emissores de turistas continuam a ser os países europeus, mas com um crescimento expressivo de novos fluxos de turistas, nomeadamente de brasileiros (que já é o segundo maior da região). Em relação aos turistas europeus, registrou-se um elevado crescimento entre os franceses, os holandeses e os escandinavos e queda entre espanhóis e italianos.

Além disso, nota-se que a região de Lisboa tem sido muito buscada por casais, entre os 35 e os 54 anos, vocacionados para o city/short-breaks.

Diante destes dados, nota-se o potencial para se criar uma oferta mais rica, que englobe outras atrações como opções de ecologia e turismo de natureza na Arrábida e turismo náutico, de natureza e equestre no Arco do Tejo. Além de outros nichos de mercado, como o birdwatching e o turismo de aventura.

Contudo, em relação ao segmento de negócios, é possível melhorar a posição de Lisboa nos congressos de maior dimensão, que podem ser promovidos no Centro de Congressos de Lisboa. Apesar disso, o posicionamento de Lisboa melhorou, passando de 15º para 9º lugar.

Para os novos anos, são metas da ATL: aprofundar o relacionamento entre a cidade de Lisboa e a região, reforçar a diversidade da oferta turística da Região de Lisboa e valorizar os activos existentes nesta região.

E você, qual opinião possui sobre a reeleição de Fernando Medina? Se lhe interessa este assunto, que tal partilhá-lo em suas redes sociais?

rfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-slide